A última década de avanços tecnológicos pode ser definida pelo aumento da conectividade, diminuição no tamanho, e pluralização de aparelhos “smart” que são capazes de melhorar diversos aspectos de nossas vidas pessoais e comerciais. E investir em IoT para o varejo, tem se mostrado uma opção bastante lucrativa.

A internet das coisas, do inglês internet of things (IoT) promete ser a mais nova fonte de inovações para diversos mercados, inclusive o varejista, através da coleta e integração de informações, poder computacional e intercomunicação.

Muitas dessas tecnologias inovadoras já estão disponíveis para serem implementadas de imediato, e a possibilidade de expandir sua malha de IoT com inovações futuras é mais eficiente quando começamos essa transformação desde o começo. Por isso, destacamos algumas aplicações da IoT já existentes para o varejo.

Um ponto importante antes de investir em aparelhos IoT é lembrar que todos precisarão de uma central que será responsável pelas redes e coleta de informações. Esse computador central é crítico e sensível tanto no que diz respeito à proteção dos dados, quanto ao pleno funcionamento de todo o sistema, por isso, é recomendável instalar um programa que aumenta a estabilidade e proteção da rede, como uma VPN para PC, antes de configurar os dispositivos.

Controle de estoque com IoT para o varejo.

Uma aplicação muito interessante da internet das coisas para o varejo é a manutenção automática de estoque e disponibilidade dos produtos. A rede é capaz de usar prateleiras e armazéns inteligentes para detectar a falta de produtos para os consumidores, ou monitorar a entrada e saída.

Com a integração à um app para smartphones, um cliente poderia até mesmo localizar o corredor e número de produtos disponíveis dentro da loja, otimizando sua experiência de compra. Para o vendedor, a noção exata sobre o fluxo dos produtos e a minimização do tempo em falta nas estantes é uma possibilidade extremamente valiosa.

controlar estoque, IoT para o varejo

Localização dentro da loja

Através de recursos comuns em todo smartphone, como o Bluetooth LE que não gasta energia ou Wi-Fi Direct, é possível em tempo real mapear o comportamento de todos os clientes dentro de uma loja.

Assim é possível marcar regiões com alta e baixa atividade, otimizar a posição dos produtos, verificar se existem atritos na experiência de compra e navegação, priorizar horários de maior demanda, e dispor os funcionários de forma mais barata e eficiente.

O consumidor também pode se beneficiar de experiências interativas, como ser alertado via notificação em seu celular ao cruzar por um produto em promoção que é de seu interesse, mas que talvez não tenha sido notado.

Segurança integrada

Para qualquer varejista, há uma margem inevitável de vazamento de valor toda vez que produtos estragam, são danificados, e até mesmo roubados. Por isso, equipamentos de segurança como câmeras e sensores nas portas são capazes de diminuir os prejuízos.

Em uma rede de internet das coisas, a situação para a segurança é ainda melhor: É possível manter em tempo real uma noção de quais produtos estão sendo carregados por cada consumidor. A gigante do varejo Amazon chegou a criar uma loja completamente livre de funcionários e caixa, o cliente apenas pega os produtos e sai da loja, ao sair, a tecnologia de IoT computa tudo que foi levado embora e cobra no cartão de crédito automaticamente.

Câmeras inteligentes, um sistema de mapeamento interno, controle de posição dos produtos e uma central conectada a nuvem, tudo isso funcionando de forma integrada, é a promessa para segurança que pode diminuir drasticamente os prejuízos.

Experiência personalizada e interativa

Usando um app para smartphones e uma central de processamento, a loja pode oferecer ao cliente experiências únicas. Por exemplo, ao perceber o padrão de compras e necessidades de um usuário, descontos específicos podem ser oferecidos.

Além disso, o uso de realidade aumentada pode permitir que através da câmera do aparelho o cliente rapidamente encontre o melhor caminho dentro da loja, veja propagandas e informações sobre seus produtos de forma clara e divertida, além de receber notificações da loja sempre que for vantajoso.

As experiências personalizadas são a base do marketing dos últimos anos, aumentando a satisfação dos consumidores e sua percepção da marca.

Manutenção de equipamentos

Um super-mercado exige uma série de equipamentos especializados para seu pleno funcionamento, como freezers, máquinas de açougue, caixas eletrônicos, etc. Quando esses aparelhos são conectados a sensores de IoT, é possível compreender sua vida útil, bolar estratégias de preservação, e até mesmo marcar manutenção antes que alguma falha apareça.

É possível monitorar o tempo de uso, horas de pico, corrente elétrica consumida, número de ativações por dia, comparar com métricas de outros aparelhos semelhantes, monitorar temperatura e umidade, entre outros.

A redução de gastos é maior do que o investimento inicial em um sistema completo de IoT para seus equipamentos.

Aliás, esse padrão de aumento do lucro é a visão central por trás da internet das coisas no meio varejista. O custo dos dispositivos está cada vez menor, e novas tecnologias como a rede 5G facilitam a implementação das soluções inteligentes e sua adequação ao ambiente do mercado.

Feito em parceria com a Tech warn.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Redefinir senha

Digite o seu nome de usuário ou endereço de e-mail, você receberá um link para criar uma nova senha por e-mail.

Cadastrar

Entrar